O inquérito realizado aos coordenadores da rede nacional de CQEP traduz preocupações que importa reter

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Formalmente constituídos e em fase de implementação e operacionalização nos diversos territórios, os CENTROS PARA A QUALIFICAÇÃO E O ENSINO PROFISSIONAL, [CQEP], sinalizam e identificam, neste processo, fragilidades que importa a todos, construtivamente, refletir, agilizar e encontrar as conjugações e os inputs necessários ao bom decurso destes dispositivos, se considerados os superiores interesses dos seus utentes, jovens e adultos, substantivamente, prejudicados, os adultos,  pelo abrupto encerramento das anteriores estruturas dos CNO.

No âmbito da sua missão de defesa, estudo e promoção da Educação e Formação de Adultos e Ensino Profissional, em Portugal, a ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS, [APEFA], atenta ao processo de implementação destes dispositivos no terreno, promoveu um estudo, através de inquérito, junto de todos os Coordenadores da Rede Nacional de CQEP.

Foi entendimento da ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS que, precisamente, neste momento, aferir e conhecer, com maior acuidade, circunstância e abrangência, a real situação vivida, no terreno, por cada um dos senhores Coordenadores de CQEP e respetivas equipas de trabalho, postas perante as novas valências, dimensões e públicos, assim como a identificação das fragilidades e auscultação de propostas, se afigurava fundamental para uma mais rápida e eficaz resposta aos adultos portugueses colmatando uma grave lacuna da Educação e Formação de Adultos.

Nesse inquérito, cujos resultados, agora, damos nota, onde a salvaguarda deontológica do direito de confidencialidade e o respeito pela privacidade dos respondentes foi e será garantida, são manifestamente, identificadas questões que, para a operacionalização dos CQEP, urge colmatar e que a tutela terá de analisar e considerar se, em causa, presidirem princípios de eficiência e de igualdade de oportunidades.

Também outras questões, como a inexistência de resposta a nível da alfabetização, a oferta educativa e formativa deficitária e o seu desconcerto face às realidades locais e estratégias de desenvolvimento integrado, protagonizado pelos atores políticos, sociais e económicos, na dimensão de EFA que penalizam os nossos concidadãos, acentuando diferenças e desigualdades, constituem preocupações da APEFA.

A APEFA agradece a colaboração de todos os participantes.

03 de junho de 2014

Resultados – Gráficos – para download

Opinião direta dos coordenadores de CQEP

Apresentação dos Resultados

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *