“SETEMBRO MÊS DA ALFABETIZAÇÃO E LITERACIAS” (SMAL), SENSIBILIZA A SOCIEDADE CIVIL, PARTIDOS POLÍTICOS E GOVERNANTES, PARA O FLAGELO DO ANALFABETISMO E DAS BAIXAS LITERACIAS EM PORTUGAL

8 de Setembro é o Dia Internacional da Alfabetização e das Literacias. Em Portugal, moderno e democrático, recordamos os mais de meio milhão de portugueses que não sabem ler, nem escrever e, ainda, os 2.5 milhões que detêm baixíssimas literacias e escolaridade mínima.

Preocupada com este facto, promovido pela ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS, juntamente com atores territoriais e apoio do Ministério da Educação, decorre, no norte do pais, a oferta educativa “PERCURSOS DE CIDADANIA ALFABETIZAÇÃO SOLIDÁRIA E LITERACIAS”, nos concelhos do Porto, Póvoa de Varzim, Esposende e a iniciar este mês também em Mirandela, envolvendo uma centena de adultos.

Para assinalar o Dia Internacional da Alfabetização e Literacias e sensibilizar a sociedade portuguesa para este flagelo do analfabetismo e das baixas literacias, perverso e promotor de desigualdades social, a Associação Portuguesa de Educação e Formação de Adultos – Apendências, com O Alto Patrocínio de Sua Excelência o Presidente da República,  em parceria com a ANMP e apoio do Ministério da Educação, IEFP e ANQEP, convida as comunidades de todo o País a integrar a Iniciativa nacional de Educação de Adultos, SMAL – Setembro Mês da Alfabetização e das Literacias. (DOWNLOAD cartaz template SMAL em https://bit.ly/2xBdHN5  )

Por todo o país, como estratégia de sensibilização para esta causa nacional de combate ao analfabetismo e às baixas literacias dos Portugueses, Municípios, Juntas de Freguesia, Centros Qualifica, Escolas, Centros de Formação, Movimentos Associativos e Instituições públicas e privadas, dinamizam, durante o mês de Setembro, atividades socioeducativas, ludicoculturais e cívicas, díspares e criativas, como saraus, concertos musicais, teatro ou animação de rua, declamações de poesia, em praças, cafés, e ruas, workshops de partilha de saberes, com artesãos de ofícios e artes em risco de extinção, apresentação de livros, cinema, entcontros folclóricos e etnográficos, exposições de arte, pintura, fotografia, etc. etc

Por último, a APEFA, embora confiante de que “o caminho se faz caminhando”, lamenta profundamente que a problemática do analfabetismo e das muito baixas literacias, castradoras de Felicidade e Liberdade individual, e a Aprendizagem ao Longo da Vida, para todos os adultos, de qualquer idade, situação profissional e de todas as geografias, continue a não constar dos programas eleitorais das próximas eleições legislativas.

Não podemos continuar a condicionar e adiar o futuro destes quase três milhões de portugueses, um terço dos quais em idade ativa!

Temos Todos muito a fazer para se cumprir a democracia.

APEFA – Apendências, 8 de Setembro de 2019